Notícias do mercado imobiliário

ABRAMAT: VENDA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO CAI 9,6%

<img class="attachment-266x266" style="text-align: justify;" title="Materiais para Construção" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Materiais-para-Constru%C3%A7%C3%A3o-372x280.jpg" alt="Materiais para Construção" width="266" height="200" />


<p style="text-align: justify;">                                                                              As vendas domésticas de materiais de construção no País caíram 9,6% em novembro, na comparação anual, considerando-se o faturamento total deflacionado do setor, de acordo com estudo mensal da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), divulgado na sexta-feira, 19. Frente a outubro, a retração foi de 9%. Diante desse desempenho, no acumulado dos 11 meses do ano as vendas da indústria recuaram 7,1% em relação ao mesmo período de 2013. Nos 12 meses até novembro, houve queda de 7%. Com o resultado, a Abramat reduziu novamente a projeção para o faturamento deflacionado em 2014 e agora trabalha com perspectiva de queda de 7% — em outubro, a previsão era de recuo de 4% mas; no início do ano havia expectativa de desempenho positivo. Os resultados das vendas no mês de novembro, que apresentaram queda em relação a outubro, reforçam a tendência à redução no faturamento real da indústria neste ano em relação ao ano passado. Com apenas um mês pela frente, a previsão para o fechamento do ano foi revisada novamente, informou a Abramat. Conforme a entidade, o desempenho dos negócios em 2014 foi duramente afetado pelo pessimismo das famílias e dos empresários com relação à economia, reforçado pela perda de dias úteis em função da Copa e feriados,  bem como pelo aumento nas importações. O mercado de materiais de base sofreu mais que o de acabamento devido à forte retração no segmento imobiliário, bem como nos novos investimentos públicos e privados, acrescentou. O estudo aponta ainda que o nível de empregos no setor mostrou crescimento de 2,1% em novembro, frente ao verificado um ano antes, e queda de 0,2% ante outubro.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
07/01/2015

Últimas notícias