Notícias do mercado imobiliário

APLICAR NO NEGÓCIO IMOBILIÁRIO É BOA OPÇÃO PARA 2015

<img class="attachment-266x266" style="text-align: justify;" title="APLICAR NO NEGÓCIO IMOBILIÁRIO É BOA OPÇÃO PARA 2015" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/01/APLICAR-NO-NEG%C3%93CIO-IMOBILI%C3%81RIO-%C3%89-BOA-OP%C3%87%C3%83O-PARA-2015.jpg" alt="APLICAR NO NEGÓCIO IMOBILIÁRIO É BOA OPÇÃO PARA 2015" width="266" height="136" />


<p style="text-align: justify;">                                                        Com a inflação nas alturas e a Selic, taxa básica de juros da economia, em constante alta, a opção para quem quer investir em 2015 é a renda fixa. Segundo os especialistas, ao contrário de outros anos, quando as corretoras faziam previsões variadas sobre as melhores formas de aplicações, este novo ano chegou com um cenário financeiro definido. A certeza de altas e de turbulências em investimentos de renda variável, como a Bolsa de Valores, deve favorecer o desempenho das aplicações ligadas aos juros pós-fixados. Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), Tesouro Direto, Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) e Certificados de Depósito Bancários (CDBs) são exemplos de investimentos que estarão em destaque ao longo de 2015, especialmente no primeiro semestre, quando não há previsões de a economia brasileira apresentar desempenho representativo. Conforme explica o agente de investimento Leonardo Rocha Fernandes, essas são aplicações atreladas à inflação e que crescerão, juntamente com ela e com a taxa de juros. Mas, claro, isso não significa que os demais tipos de investimentos passaram a ser ruins. De acordo com Fernandes, o que acontece é que ações e fundos imobiliários pagam juros prefixados e costumam atrair menos investidores em épocas de alta, devido ao risco que representam. No caso da caderneta de poupança, o alcance também tende a ser fraco, uma vez que o rendimento estabelecido em 6,5% ao ano pode ser ultrapassado pela inflação. Analistas do mercado financeiro, inclusive, estimam que o índice inflacionário de 2015 fique em torno de 6,56%.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
15/01/2015

Últimas notícias