Notícias do mercado imobiliário

ASSEGURADA ÁREA DE PRESERVAÇÃO NO PARQUE OESTE

<img class="attachment-266x266" style="text-align: justify;" title="Programa Urbano Ambiental Macambira-Anicuns" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Programa-Urbano-Ambiental-Macambira-Anicuns-369x280.jpg" alt="Programa Urbano Ambiental Macambira-Anicuns" width="266" height="201" />


<p style="text-align: justify;">                                                              O maior adensamento previsto na região inicial do Programa Urbano Ambiental Macambira-Anicuns (Puama) está sendo erguido na área onde ocorreu o maior conflito por posse de terra na Capital: a desocupação do Parque Oeste Industrial, em 2005. Trata-se do Eldorado Parque, do mesmo grupo que criou o Residencial Eldorado (Tropical Urbanismo e Incorporação, CMO, Dinâmica Engenharia e Engel Engenharia e Construção). De acordo com o diretor da Tropical Urbanismo e Incorporações, Paulo Roberto da Costa, a área de 163 mil metros quadrados da desocupação dará lugar a 25 condomínios (com uma média de 3 torres de 18 andares, cada), para 6 mil famílias. Será construído um shopping, na Avenida Pedro Ludovico, e um parque ambiental de 100 mil metros quadrados para preservar nascentes do Córrego Buritis, um braço do Córrego Macambira. Além de ter sido uma exigência do Ministério Público do Estado de Goiás para a Prefeitura e a proprietária do terreno, Anália Ferreira, a área de preservação no Parque Oeste Industrial é uma compensação do grupo empreendedor por conta da verticalização do setor. O Plano Diretor permite a verticalização da região, mas quando vamos verticalizar, pagamos a licença onerosa. O parque é uma forma de pagamento da licença onerosa, explica Paulo Roberto. A reserva ambiental será construída em quadras doadas por Anália Ferreira e parte de um terreno da Prefeitura. Situado entre as Ruas do Café, Crisântemo e das Magnólias, ele receberá o nome do falecido marido da proprietária da área: Parque Sebastião Júlio de Aguiar. O restante do terreno foi negociado pela proprietária com o grupo de construtoras. As nascentes constam no projeto inicial do Puama, mas o Parque Oeste Industrial está no setor 5 do programa, fora dos trechos licitados inicialmente – setores 1 a 3. O novo parque não chega às margens do Macambira. Para integrá-lo ao restante do projeto, a Prefeitura deverá desapropriar imóveis e não há previsão de a obra chegar até esse ponto na gestão do prefeito Paulo Garcia. Além da urbanização do parque até a Avenida Milão, a licitação do Puama incluiu a construção de duas travessias sobre o Córrego Macambira no setor 5, o que vai diminuir o impacto de trânsito na região. São as travessias das Avenidas Egerineu Teixeira e Joaquim Pedro Dias, que só devem ficar prontas em meados de 2016.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
15/01/2015

Últimas notícias