Notícias do mercado imobiliário

BR-050: BNDES LIBERA RECURSOS PARA DUPLICAÇÃO

<img class="attachment-post-thumbnail size-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg" sizes="(max-width: 150px) 100vw, 150px" srcset="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg 150w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-100x100.jpg 100w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-90x90.jpg 90w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-80x80.jpg 80w" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                         O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou na última semana financiamento de longo prazo de R$ 552,7 milhões à Concessionária de Rodovias Minas Gerais Goiás (MGO Rodovias) para a execução de obras de duplicação e melhorias da BR-­050 entre Minas Gerais e Goiás. A aprovação representa um primeiro passo para liberar os pedidos dos vencedores dos leilões das concessões da primeira fase do Programa de Investimentos em Logística (PIL), de 2013. Os investimentos a serem liberados para o pacote contemplado pela etapa 1 do PIL são de R$ 15 bilhões a R$ 17 bilhões. Além dos R$ 552,7 milhões do BNDES, a MGO Rodovias pleiteia na Caixa Econômica Federal outros R$ 550 milhões para as obras. A operação ainda está em fase de estruturação e não tem data prevista para aprovação. A concessionária também pretende emitir debêntures de infraestrutura para o projeto. Com 436,6 km de extensão, a rodovia tem início no entroncamento com a BR­040, no município de Cristalina, em Goiás, até a divisa entre os Estados de Minas Gerais e São Paulo, no município mineiro de Delta, e é considerada a principal via de ligação entre o Distrito Federal e o Porto de Santos, em São Paulo, cortando municípios de atividade agroindustrial e comércio atacadista do Triângulo Mineiro. Está prevista a geração de cerca de quatro mil empregos diretos e indiretos durante a execução do empreendimento, sendo que 1,2 mil pessoas trabalharão na operação da rodovia, que perdurará por 30 anos sob responsabilidade da concessionária.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
10/08/2016

Últimas notícias