Notícias do mercado imobiliário

CUSTO DA CONSTRUÇÃO TEM LIGEIRA ALTA EM NOVEMBRO

<img class="attachment-post-thumbnail size-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg" sizes="(max-width: 150px) 100vw, 150px" srcset="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg 150w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-100x100.jpg 100w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-90x90.jpg 90w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-80x80.jpg 80w" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                        De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, em levantamento divulgado hoje, 10, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,23% na primeira prévia de novembro, vindo de um acréscimo de 0,12% na primeira apuração de outubro. O índice relativo a equipamentos e serviços registrou incremento de 0,49%. No mês anterior, a taxa foi positiva em 0,25%. O índice de custo da mão de obra não apresentou variação pelo terceiro mês consecutivo. Já a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) desacelerou para 1,31% na primeira apuração de novembro, após se situar em 1,64% no mesmo período do mês anterior. No atacado, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu de alta de 2,36% na parcial de outubro para 1,73% na mesma leitura de novembro. Os produtos agropecuários passaram de alta de 3,42% para 1,67%, enquanto os produtos industriais deixaram elevação de 1,95% para 1,76%. No varejo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou de 0,40% para 0,62%, com metade de suas oito classes de despesa com taxas maiores, sobressaindo o grupo Transportes (0,66% para 1,90%) no qual a gasolina (-0,55% para 5,22%) foi a principal influência.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
18/08/2016

Últimas notícias