Notícias do mercado imobiliário

DENGUE ESTÁ NO ALVO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

<img class="attachment-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/10/tome-nota22-150x150.jpg" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                      O número de goianos afetados pela dengue sobe a cada novo balanço da Secretaria Estadual de Saúde (SES), tornando cada vez mais importante a prevenção da doença por parte da comunidade. Os canteiros de obras são espaços propensos à formação de criadouros do Aedes aegypti, por isso, a EBM Desenvolvimento Imobiliário mantém sempre um funcionário treinado no combate ao mosquito transmissor em cada uma de suas obras. Atualmente, a empresa tem sete empreendimentos em desenvolvimento em Goiânia. A coordenadora de segurança do trabalho da empresa, Francisca Francicleide Tavares, esclarece que em cada obra um colaborador é treinado para realizar o combate diário com uso de rodos e cloro granulado. Todo o trabalho realizado também é documentado. “Uma vez por semana é feito o Relatório Semanal de Controle de Dengue, para garantirmos que esse controle esteja sendo feito corretamente. No documento são registrados os casos de dengue dentro do canteiro, se houver algum”, acrescenta. Conhecidos como “dengueiros”, os profissionais passam por reciclagens anuais no Serviço Social da Indústria da Construção do Estado de Goiás (Seconci). “Hoje temos um colaborador treinado por empreendimento em construção”, conta Francisca. Quando a administração da obra julga necessário, todos os trabalhos do canteiro são suspensos por algumas horas para a realização do Dia D Combate à Dengue no Canteiro de Obras. No entanto, ainda segundo a técnica em segurança do trabalho, nos últimos meses não tem sido necessário realizar paralisações, pois as obras têm conseguido se manter livres de riscos. Por meio da implementação desses agentes em cada uma das obras, a EBM tem sido capaz de manter os canteiros livres de criadouros do mosquito. “Hoje posso afirmar que esse problema está controlado”, afirma.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
16/10/2015

Últimas notícias