Notícias do mercado imobiliário

ECONOMISTA DEFENDE QUE É HORA PARA INFRAESTRUTURA

<img class="attachment-266x266" style="text-align: justify;" title="tome nota" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2014/11/tome-nota45.jpg" alt="tome nota" width="266" height="177" />


<p style="text-align: justify;">                                                                                          O consultor econômico, ex-secretário de Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e colunista dos jornais O Estado de S.Paulo e O Globo, Raul Velloso, defendeu nesta quarta-feira (12), durante reunião do Conselho de Administração da CBIC, que é hora e vez dos investimentos em infraestrutura. Em sua apresentação, de mesmo título, Velloso traçou um cenário considerado otimista para a economia nacional. Disse que sua sensação é a de que a guinada para o investimento/infraestrutura terá que vir, porque não há outra escolha, o governo terá que encontrar o caminho para isso. De fato, existe um problema complicado para o governo responder e se posicionar, que é o fato de que, em síntese, a economia brasileira, sem nenhuma razão fortemente explicativa, está crescendo muito pouco e não há choque externo ou interno, afirmou. O economista também comentou que o modelo adotado pelo governo Dilma tem como tripé a expansão do consumo, a indústria de transformação como líder na economia e a modicidade tarifária/populismo tarifário. Para Raul Velloso, esse modelo não se sustenta. Segundo ele, a política pró-consumo pode ser um tiro no pé, porque o excesso de consumo pode acabar aumentando os salários no setor de serviços, que não tem concorrentes externos, o que não ocorre na indústria, que tem forte competição externa. Acredita o economista que o modelo adotado prejudica a indústria e, sobre o populismo tarifário, entende que o governo,  ao estabelecer o valor da tarifa,  afugenta os investidores, o que acaba reduzindo a produção das indústrias, já que não paga a remuneração compatível.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
26/11/2014

Últimas notícias