Notícias do mercado imobiliário

EM ALTA, DÓLAR JÁ PRESSIONA ALIMENTOS E OS REMÉDIOS

<img class="attachment-post-thumbnail size-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-D%C3%93LAR-J%C3%81-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REM%C3%89DIOS-150x150.jpg" sizes="(max-width: 150px) 100vw, 150px" srcset="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-DÓLAR-JÁ-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REMÉDIOS-150x150.jpg 150w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-DÓLAR-JÁ-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REMÉDIOS-100x100.jpg 100w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-DÓLAR-JÁ-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REMÉDIOS-90x90.jpg 90w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-DÓLAR-JÁ-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REMÉDIOS-400x400.jpg 400w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/EM-ALTA-DÓLAR-JÁ-PRESSIONA-ALIMENTOS-E-OS-REMÉDIOS-80x80.jpg 80w" alt="EM ALTA, DÓLAR JÁ PRESSIONA ALIMENTOS E OS REMÉDIOS" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                         A disparada do dólar não leva os brasileiros apenas a refazer planos de viagens ao exterior ou a economizar nos importados, agora muito mais caros. Com a valorização de até 70% nos últimos 12 meses, a moeda norte-americana começa a pressionar custos de produção como alimentos e remédios e pode obrigar famílias a mudanças maiores no perfil do consumo. No caso de medicamentos, que têm 90% da matéria-prima importada, a indústria prevê problemas mesmo com preços administrados. “Os descontos vão desaparecer nas farmácias”, diz o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos de São Paulo, Nelson Mussolini. O setor agropecuário também admite dificuldades para manter valores das carnes no mercado interno, já que uma parte maior da produção será exportada. O impacto no preço do pão, avisam produtores, será sentido em breve. O valor da moeda em 4 de setembro do ano passado estava em R$ 2,24; neste 4 de setembro agora, em R$ 3,84. Quem segura?</p>




<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
28/05/2016

Últimas notícias