Notícias do mercado imobiliário

INDÚSTRIA REGISTRA QUEDA NA PRODUÇÃO E NO EMPREGO

<img class="attachment-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/10/gera%C3%A7%C3%A3o-de-empregos-150x150.jpg" alt="geração de empregos" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                       Pesquisa elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta para a expectativa de que os empresários da indústria estão cada vez mais pessimistas em relação ao cenário econômico deste ano. Em junho, a indústria teve queda na produção e no emprego. De acordo com a sondagem do setor, divulgada na última terça-feira, dia 21, o índice de produção continuou abaixo dos 50 pontos e alcançou 40,3 pontos no mês passado, 1,4 ponto inferior ao observado em maio. Esse indicador varia no intervalo de 0 a 100 e valores abaixo de 50 indicam diminuição da produção frente ao mês anterior. Segundo a pesquisa, o índice de número de empregados ficou em 40,7 pontos no mês, mantendo-se abaixo dos 50 pontos e com variação negativa de 0,7 pontos em relação a maio (dentro da margem de erro da pesquisa). A utilização da capacidade instalada, que mede o grau de ociosidade do setor, caiu mais um ponto em junho e marcou 65% da capacidade produtiva, o menor percentual já registrado para a série mensal, iniciada em janeiro de 2011. Para 44,8% dos empresários entrevistados, atualmente o principal problema é a elevada carga tributária. “Esse resultado sugere que as recentes medidas do governo federal para o cumprimento do ajuste fiscal e as discussões sobre o tema teriam aumentado ainda mais a preocupação com os efeitos deletérios da tributação sobre as empresas”, diz a CNI, na sondagem. Segundo a CNI, as expectativas dos empresários da indústria estão cada vez mais pessimistas. Os indicadores de expectativa também variam de 0 a 100. Valores abaixo de 50 indicam expectativa de redução da demanda, do número de empregos, da compra de matérias-primas ou da quantidade exportada nos próximos seis meses. Os índices que representam as expectativas da demanda, de compras de matérias-primas e de empregados foram respectivamente de 46,6, 44,6 e 41,1 pontos em julho. De acordo com a CNI, enquanto os dois primeiros oscilaram dentro da margem de erro entre junho e julho, o índice de expectativas de número de empregados recuou um ponto. A exceção foi a estabilidade na expectativa de exportação: o índice alcançou 49,9 pontos em julho, aumento de 1,5 pontos em relação ao mês anterior. “Próximo à linha divisória, esse índice revela que há expectativa de manutenção da quantidade exportada para os próximos seis meses. Essa exceção pode ser decorrente da desvalorização do real em 2015 e da redução da volatilidade de sua taxa frente ao dólar”, diz a CNI. A intenção de investimento da indústria caiu para 41,3 pontos em julho, o menor valor desde o inicio da série histórica em novembro de 2013.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
06/11/2015

Últimas notícias