Notícias do mercado imobiliário

MG: APARTAMENTOS DE 2 QUARTOS DOMINAM O MERCADO

<img class="attachment-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/10/tome-nota22-150x150.jpg" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                       Eles são a cara do primeiro imóvel: pequenos e mais baratos, os apartamentos de dois quartos, exatamente por isso, são mais acessíveis. Em 2010, 2012 e 2014, em Belo Horizonte, esse tipo de imóvel teve mais lançamentos que os de três dormitórios. Mas as unidades com dois quartos foram as que mais permaneceram em estoque em 2014: dos 4.894 apartamentos estocados (considerando o volume desde 2010), 2.175 eram de dois dormitórios, o que representa 44,4% do total. Os dados são de estudo da Geoimovel em parceria com a Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), com 23 empresas imobiliárias, que representam cerca de 80% dos lançamentos na capital mineira. O levantamento releva que o número de apartamentos lançados pelas construtoras e incorporadoras em Belo Horizonte cresceu em 2014. Foram 4.243 apartamentos novos, 30,2% a mais que em 2013. Considerando o número de dormitórios, 59% do total de lançamentos foram unidades de dois dormitórios. Em 2014, o número de lançamentos de dois quartos também foi 162% maior que em 2013. Para Flávio Galizzi, vice-presidente da área das corretoras de imóveis da CMI/Secovi-MG, a tendência continuará sendo uma diminuição no tamanho dos apartamentos em função da queda da oferta e consequente valorização dos lotes. Como o preço do imóvel é calculado em função da sua metragem, quanto maior, mais caro. Segundo o diretor de marketing e venda da MRV, Rodrigo Resende, a oferta de lazer completo é o que diversifica a venda. Se, no passado, cada quarto era pensado para ter cerca de 30 metros quadrados (m²), hoje, um apartamento de dois dormitórios tem, todo ele, 50m² em geral. Os da MRV Engenharia, por exemplo, que tem os apartamentos de dois quartos como carro-chefe, medem 45m². Cada quarto tem, em média, 9m². Os de três quartos, por sua vez, medem 54m². Essa metragem, 20% maior, portanto, significa um preço 20% maior. Para alguém que vai comprar o primeiro imóvel próprio, faz toda a diferença. “O dois-quartos cabe no bolso do cliente. É com ele que o cliente de renda média ou baixa consegue realizar o sonho da casa própria”, defende Rodrigo Resende, diretor de marketing e venda da MRV Engenharia.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
05/11/2015

Últimas notícias