Notícias do mercado imobiliário

SÃO PAULO: CONSTRUTORAS RETOMAM OS LANÇAMENTOS

<img class="attachment-266x266" style="text-align: justify;" title="SÃO PAULO, CONSTRUTORAS RETOMAM OS LANÇAMENTOS" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2014/11/S%C3%83O-PAULO-CONSTRUTORAS-RETOMAM-OS-LAN%C3%87AMENTOS-497x280.jpg" alt="SÃO PAULO, CONSTRUTORAS RETOMAM OS LANÇAMENTOS" width="266" height="149" />


<p style="text-align: justify;">                                                                                        As construtoras retomaram os lançamentos de imóveis na cidade de São Paulo neste fim de 2014, ano marcado pela queda nas vendas e dos novos projetos na Capital paulista. Como o setor foi atingido pelas incertezas econômicas, pelas discussões do novo Plano Diretor da cidade e pela Copa, que esfriaram o mercado, as construtoras esperaram o fim do ano para colocar um maior volume de projetos na rua. O mercado passou por meses muito atípicos, mas chega uma certa hora em que o incorporador não pode mais segurar todos os produtos que ele tem, diz Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP. O crescimento do número de novos projetos se refletiu na elevação do estoque de imóveis novos. A oferta atingiu 22.339 unidades – 40% a mais do que no mesmo mês de 2013 e quase recorde desde o início da série, que começou em 2004, segundo o Secovi-SP. Com os lançamentos em setembro, as construtoras buscam testar a recepção do comprador aos novos empreendimentos em um cenário de baixa nas vendas. Se os produtos não atingirem um bom nível de vendas, as empresas devem reduzir o número de imóveis lançados, como forma de ajustar demanda e oferta. De janeiro a setembro, o preço do metro quadrado subiu 4,78% (ante 4,61% da inflação do IPCA), para R$ 9,102, segundo Celso Petrucci. Em 12 meses, a alta é de 10,73%. A perspectiva de profissionais do mercado é que os preços se estabilizem. As vendas caíram 43,8% até setembro em relação ao mesmo período do ano passado. No caso dos lançamentos, houve recuo de 15,4% no acumulado do ano, para 18.367 unidades.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
25/11/2014

Últimas notícias