Notícias do mercado imobiliário

SEM INDICAÇÕES DE MELHORA NOS NÚMEROS DA ECONOMIA

<img class="attachment-post-thumbnail size-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg" sizes="(max-width: 150px) 100vw, 150px" srcset="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-150x150.jpg 150w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-100x100.jpg 100w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-90x90.jpg 90w, http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2016/05/tome-nota-80x80.jpg 80w" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                  Números mais recentes da economia real indicam que a situação do País tende a piorar até o fim do ano. Encomendas de insumos essenciais para a produção, como energia e embalagens, continuam em queda em relação ao ano passado e a meses anteriores deste ano. Outros setores, como a construção civil, ainda vão sentir reflexos mais fortes do tombo da economia nos últimos meses de 2015. Para o pesquisador do Ibre Vinícius Botelho, o Natal não trará alento para a economia. “A dúvida agora é se haverá alguma recuperação no segundo semestre do ano que vem, porque ainda não temos nada que aponte nesse sentido.” No primeiro semestre de 2015, o número de imóveis residenciais lançados no País – que seriam construídos a partir da segunda metade do ano – caiu 13% em relação a 2014. A construção civil deverá fechar 500 mil vagas no mercado de trabalho até o fim do ano, depois de empregar no ano passado 3 milhões de pessoas. Para José Carlos Martins, presidente da CBIC, serão 5 mil imóveis que deixam de ser construídos a partir deste semestre, já que o tempo médio entre o lançamento e o início da obra é de cerca de seis meses.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
16/06/2016

Últimas notícias