Notícias do mercado imobiliário

VENDAS: NETIMÓVEIS RUMA EM DIREÇÃO AO INTERIOR

<img class="attachment-post-thumbnail" src="http://evoimoveis.com.br/wp-content/uploads/2015/10/tome-nota22-150x150.jpg" alt="tome nota" width="150" height="150" />


<p style="text-align: justify;">                                                                                Num momento em que o mercado imobiliário se ressente da combinação de juros altos, aperto no crédito e queda na renda, a Rede Netimóveis — empresa que reúne 116 imobiliárias em cinco Estados e mais o Distrito Federal — lança uma ofensiva em direção ao interior do País para chegar ao fim do ano com 150 associados. O alvo principal é o interior de São Paulo, estado onde a Netimóveis têm presença apenas na Capital. Com um volume de vendas intermediadas em torno R$ 2,5 bilhões no ano passado, a rede aposta num modelo de compartilhamento de informações como forma de atrair médias e grandes imobiliárias no cenário atual de crise.Presente em Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Bahia e Santa Catarina, além de Brasília, a Netimóveis trabalha para chegar, ainda em 2015, às regiões do Vale do Aço (MG), Triângulo Mineiro, Sul de Minas e interior paulista. O site da rede foi criado em outubro de 1995, quando a internet mal engatinhava no País, e hoje reúne cerca de 120 mil imóveis (sem duplicidade) para venda ou locação. O modelo de negócios é o de uma cooperativa. Os associados rateiam as despesas entre si mas não precisam pagar à Netimóveis um percentual do faturamento, como acontece normalmente na relação entre franqueados e franqueadores. Parte das receitas vem de publicidade online e acordos com bancos, seguradoras e outros prestadores de serviços. A regra básica é de que os associados devem compartilhar com os outros integrantes da rede 100% da sua carteira de imóveis. As ofertas são apresentadas no portal da rede. Quando um imóvel “captado” por uma corretora é vendido por outra, as duas dividem em partes iguais a comissão. Em 2013, a Netimóveis fechou o ano com valor geral de vendas (VGV) intermediado de aproximadamente R$ 3 bilhões. Em dezembro daquele ano, a empresa firmou memorando de entendimento com a Lopes (LPS Brasil Consultoria de Imóveis), que iria resultar na compra de 49% do capital social da Netimóveis. Sujeito ao cumprimento de determinadas condições, o pré-acordo acabou não se concretizando devido à piora do cenário. No ano passado, o VGV intermediado pelos associados da rede encolheu para cerca de R$ 2,5 bilhões, já sob efeito do cenário macroeconômico adverso. Na comparação entre maio deste ano com o mesmo período do ano passado, a receita da Netimóveis diminuiu 16,8%. Apesar dos sinais desfavoráveis, a empresa projeta um aumento de quase 30% no total de associados para 2015.</p>






<strong>Fonte: www.ademigo.com.br</strong>
05/11/2015

Últimas notícias